< Katie McGrath Brasil – Supergirl
06.12.17
Katie Mcgrath fala sobre mulheres no cinema e Supergirl

Esse foi um ano de destaque para mulheres no cinema. Das Amazonas em Mulher Maravilha até a mudança de cena de Tessa Thompson como Valkyria em Thor: Ragnarok, é claro que as mulheres finalmente conseguiram seu reconhecimento no mundo dos super-heróis no cinema. Os fãs de Supergirl e The Flash podem ter visto isso já, pois ambasas séries tem personagens femininas muito fortes, uma delas é a de Katie Mcgrath, como Lena Luthor, que sentou-se com a gente para conversar em nossa visita ao set de filmagens de Supergirl.

A personagem de McGrath é uma parte vital do elenco feminino principal de Supergirl. Tentando viver além do legado de sua família malvada, Lena é uma personagem inteligente, competente e complexa. Durante a nossa visita, McGrath contou sobre como ela vê o cenário dos filme mudar e que as mulheres poderosas na TV influenciaram isso.

“Sinto que há muitas personagens femininas muito fortes na TV no momento. Especialmente no universo DC, temos ótimas mulheres. Eu acho que isso ajuda as pessoas a abrir a idéia de que uma mulher pode ser mais do que uma companheira ou o interesse amoroso. As pessoas estão dispostas e ansiosas para ver super-heróis liderados por mulheres em filmes e dramas. Eu acho que a TV ajudou isso. Acredito que estamos em uma nova era em que a TV é líder de filmes e não o contrário. Eu acho que isso é bom para todos nós “.

Quando se trata de saber se a Luthor de Katie tem alguma idéia sobre os super-poderes de sua melhor amiga, Katie tem uma resposta definitiva:

“Não. Definitivamente, não. Sou muito questionada sobre isso e minha resposta ainda é a mesma. Se você pode acreditar em uma série sobre alienígenas e que uma garota pode voar, então você pode aceitar que eu não sei que elas são a mesma pessoa. E se todos conhecerem seu segredo, ela deverá ser a Supergirl o tempo todo. A grande coisa sobre a série  é que ela é uma das duas e ela pode ser vulnerável e humana comigo, ela nem sempre tem que ser a heroína, para a história é a coisa mais convincente de se assistir, ver alguém ser vulnerável”. McGrath explicou.

Quanto a quando veríamos Lena passar algum tempo com as outras mulheres fortes de Supergirl, bem, os fãs não precisaram esperar muito tempo por um episódio onde vemos as meninas se juntarem paea um tempo de lazer.

“Foi realmente ótimo, na verdade, porque é muito raro isso. Todas nos conhecemos fora da série, mas é muito raro que possamos interagir juntas, especialmente eu depois da última temporada, quando eu estava muito separada. Essa era a única coisa que eu desejava nesta temporada, interagir com os diferentes membros do elenco e essa foi realmente a primeira vez, sem discutir. O que é bom é que você começa a ver pedaços de normalidade. E você vê um pouco sobre Lena, Sam e Kara no episódio 3×05”. McGrath lembra com carinho.

Fonte

17.11.17
McGrath fala sobre a necessidade de Kara ter uma identidade secreta.

A identidade secreta de um super-herói é tão parte da construção do personagem quanto seus superpoderes, e a estrela de Supergirl, Katie McGrath, acredita que Kara Danvers com identidade civil, agrega algo inédito a garota de aço: a chance de ser vulnerável. McGrath recentemente expressou sua opinião sobre Supergirl e o alter ego moderado da personagem, enquanto também falou das preocupações sobre se sua personagem, Lena Luthor, já deveria ter descoberto que sua amiga é a protetora kriptoniana de National City. Como ela disse, há uma boa razão pela qual a membro da família Luthor ainda não percebeu e porque é tão importante para a série e para a personagem que a identidade de Kara Danvers continue a estar lá para a Kara Zor-El.
Os comentários foram feitos durante uma visita recente do Screen Rant aos estúdios de Supergirl, onde McGrath falou sobre o papel de Lena na terceira temporada da série e conversou sobre quantas vezes ela foi questionada se sua personagem finalmente saberá sobre o segredo de Kara. Acontece que McGrath acredita firmemente na identidade secreta da Supergirl e sugere que aqueles que acham que seu disfarce é suspeito, partilham da mesma crença que os permitem gostar de uma série sobre uma alienígena que voa e tem visão de calor.

“Não. Apenas não. Me perguntam muito isso e minha resposta ainda é a mesma. Há algumas coisas: Se você pode acreditar em uma série sobre alienígenas e uma garota que pode voar, então você pode acreditar que eu não sei que elas são a mesma pessoa. Você tem que aceitar. E também, se todo mundo souber o segredo dela, então ela terá que ser a Supergirl o tempo todo e boa parte da série é sobre o fato dela ser as duas pessoas, entende? Ela pode ser vulnerável e humana comigo. Ela não tem que ser sempre a heroína. E, para uma história, acho que a parte mais intrigante de assistir é ver alguém ser vulnerável. E por ela não ter que ser a Supergirl o tempo todo, você pode vê-la como um personagem vulnerável.”

Aceitar que Lena não sabe que Kara e Supergirl são a mesma pessoa parece um pedido fácil e razoável para quem deve saber uma coisa ou outra sobre o que se passa na cabeça da Lena Luthor. Mas a segunda parte do discurso de McGrath é uma razão convincente sobre o porquê é importante para a personagem ser capaz de alternar entre Kara e Supergirl: Permite que ela seja mais humana, dar a Kara e a Supergirl a chance de mostrar um outro lado dela mesma e, ao menos por um momento, colocar de lado o peso do “S” e ver o mundo como uma pessoa sem poderes.

Sem dúvidas, sempre haverá fãs descrentes que um par de óculos e um rabo de cavalo são suficientes para que o mundo não descubra a identidade secreta de Supergirl, mas McGrath não está errada quando pede que os telespectadores considerem o tipo de programa que estão assistindo antes de acharem tão absurdo.

Afinal de contas, se você está disposto a acreditar que uma garota pode voar, então acreditar na eficiência de um disfarce barato pode ser fácil.

06.11.17
Entrevista: Lena está prestes a cumprir seu destino como uma Luthor?

Durante o episódio de Supergirl na segunda-feira, Morgan Edge (Adrian Pasdar) coloca a mira em Lena depois que muitas crianças ficam doentes com intoxicação por chumbo. Ele argumenta que o dispositivo de dispersão de chumbo que ela desencadeou no final da segunda temporada é a causa, então Lena é a culpada, forçando Kara e Sam (Odette Annable) tentar limpar seu nome. Esta verdade empurrará Lena para o direito de nascença como Luthor? EW sentou-se com McGrath para obter algumas respostas:

Como Lena lida com essa possível verdade de que ela deixou essas crianças ficarem doentes?

Lena está enfrentando seu pior medo: Lena está enfrentando o fato de que ela pode ser realmente uma Luthor depois de tudo e tudo isso significa muito. O que é legal sobre este episódio é que você vê uma Lena quebrada, não emocionalmente quebrada por um homem, mas quebrada como se todos os seus piores temores tenham acontecido e de que ela é exatamente como sua família, que ao fazer o que ela pensava ser a coisa certa, ela se tornou essencialmente este monstro que envenenou crianças.

Como Lena se sente sobre Morgan a culpando quando não poderia ser verdade?

Ela simplesmente se perdeu. É esse momento em que você vê o quão poderosa e quão forte ela pode ser, mas também o quão cega ela pode estar, possivelmente, não fazendo a melhor estratégia de ação, mas ela está estilhaçada. O que você começa a ver é indícios e reflexos da Lena que ela poderia ser uma mulher muito enérgica, teimosa, dogmática,poderosa e inteligente.

Andrew Kreisberg disse anteriormente que ninguém se torna mal, trata-se de uma série de pequenas decisões ruins que são como um efeito dominó. Os dominós de Lena começam a cair nesta temporada?

É uma boa maneira de posicionar isso. Estamos muito cedo na temporada, acho que você tem que fazer referência a temporada passada também. Cada momento que ela luta, ela a traz mais perto da pessoa que ela vai ser e nós simplesmente não sabemos quanto tempo isso vai demorar. É exatamente o que ele diz: não é uma coisa que vai acontecer, é a constante quebra de quem ela era e quem ela é. Na verdade, neste episódio, há uma linha muito interessante que ela diz que os Luthors sempre racionalizam o que estão fazendo, como salvar o mundo, mesmo quando estão prejudicando as pessoas. Então, os Luthors acreditam que estão fazendo o que é certo. Ninguém se propõe a ser apenas mal. Todos acreditam que o que eles estão fazendo é para o bem maior. Não acho que Lena seja diferente. Eu acho que tudo o que você vê, ela irá fazer a parte do que a torna no que ela finalmente se torna, porque ela sempre acredita que está fazendo o que é certo.

Lena é uma garota inteligente e você disse antes que você não quer que Lena descubra que Kara é Supergirl, mas você acha que a mentira é quase que pior neste momento?

A dificuldade com Lena saber é que você não tem ninguém com quem Kara possa ser apenas Kara. Você não tem ninguém com quem Kara possa ser humana. Se todos sabem que ela é Supergirl, ela sempre tem que ser a Supergirl. Uma das grandes coisas sobre um super-herói – e esta em particular – é que ela tem seus defeitos e não é perfeita. Então, ela dá a Kara a capacidade de ser vulnerável e ser todas essas coisas. Se eu sou a única que sabe disso, e tenho que aguentar sem perceber que elas são a mesma pessoa, essa é a magia da série. A magia é que você acredita que são duas pessoas diferentes. Se você acreditar que ela voa e é uma alienígena, não vejo porque não posso acreditar que Lena não sabe a diferença, então é nisso que acredito. É importante como uma personagem para Kara ter alguém com quem não precisa ser Supergirl, não precisa ter todas as respostas, ela não precisa sempre ser a solução. Ela pode ser um ser humano normal e com seus defeitos.

No entanto, a Supergirl tem afastado Lena de sua vida desde a prisão de sua mãe até a morte de seu primeiro amor. Será que esses pequenos momentos se acumulam em direção à animosidade?

Pessoalmente, para Lena, imagino que o que acontecerá é a gota d’água que quebra tudo. Haverá uma última coisa que apenas a faz ir, “Você está brincando?” Porque ela pode lidar com todos eles agora, porque muitos deles não culpam a Supergirl, muitos deles se culpam por por ela. Mas eu acredito que haverá uma coisa final que a faz partir, “Você sabe o que? Isso tudo não sou eu. Estou tentando estar bem aqui e, cada vez que penso que estou fazendo o que é certo, você me torna mais difícil.” Não tenho muita ideia, estou intelectualizando isso, mas acho que haverá uma coisa que fará com que o resto dela simplesmente se vá, “E então isso aconteceu e oh meu Deus, eu vou jogar bolas de Kryptonita em você”.

Teremos mais informações sobre a sua história familiar nesta temporada? Talvez com Lionel ou com Lex? Sua mãe estará de volta?

Eu não faço ideia. Não sei absolutamente nada. Essa é uma pergunta para Andrew. Eles jogam tudo muito perto da gravação. O que é engraçado é que eu não gosto de ler episódios além do que estou fazendo exatamente por esse motivo. Eu tenho uma síndrome total do spoiler e eu diria a todos. Eu seria tipo: “O que você quer saber?” Não me diga, provavelmente é melhor assim!.

16.10.17
Supergirl: Katie Mcgrath fala sobre Lena e sua relação com Kara na CatCo e James

Lena Luthor está “lentamente tentando assumir National City” na terceira temporada de Supergirl. A atriz Katie McGrath conversou com o TVLine e que comprar CatCo foi apenas o começo.

“Lembro-me de tentar explicar isso para minha mãe”, lembra McGrath. “Eu disse: ‘É como se ela já possuísse Facebook e a General Motors e agora ela acabou de comprar a Coca-Cola. Basicamente, ela está se posicionando para ser a mulher mais poderosa do mundo’. Lena é o tipo de pessoa para quem se quer trabalhar”, explica McGrath, porque “ela não finge que sabe tudo e ela não tem medo de pedir ajuda.” Claro, o grande e novo show de Lena vem com algumas complicações, especialmente em relação a Kara.

“A dinâmica de sua amizade é diferente agora. Não é uma coisa necessáriamente ruim, significa apenas que seu relacionamento se ‘alargou’. Elas não tem mais apenas um relacionamento pessoal, agora elas também tem um relacionamento profissional e está tentando equilibrar ambos, o que é desafiador. Como ela pode ser chefe e ainda ser amiga de Kara? Há problemas e dificuldades, e tudo se desenrola ao longo do episódio 3×02”.

Quanto à crise existencial existente em Kara:

“Lena quer estar lá para ela, mas é difícil ajudar alguém que não acredita que precisa de ajuda. Kara acha que ninguém pode compreendê-la agora. Os escritores não estão deixando ela nessa temporada. Eu gosto do ‘dêem a essa pobre garota uma pausa!'”

Mas nem todos na CatCo estão entusiasmados com a nova posição de Lena e, pelo menos, pelo menos não o famoso fotógrafo que está na ausência de Cat. “Essa transição de poder vai ser muito difícil”, admite McGrath. James é grato por ela ter comprado a empresa em vez de Morgan Edge, mas quando você é o chefe, de repente você começa a receber ordens de alguém que – por sua própria admissão – realmente não sabe como executar a empresa?”.

Quanto à possibilidade de que algo mais poderia estar se desenvolvendo entre Lena e James, McGrath diz:

“Nós não temos tantos episódios ainda, então eu não sei, mas ele é um homem muito bonito e nós somos humanas. Eu acho que as melhores relações de TV são as nascidas de antagonismo. Isso pode ser apenas porque eu sou irlandesa e argumentativa, mas sempre penso que o atrito e a paixão tornam a visualização mais interessante”.

 

10.10.17
(Spoiler Alert!) Katie Mcgrath e Melissa Benoist comentam sobre a reviravolta da CatCo.

Lena Luthor deu uma cartada de poder durante a estréia da 3º temporada da Supergirl.

Quando o novo vilão Morgan Edge (Adrian Pasdar) decide colocar uma oferta para comprar a CatCo. para dar pressão à sua favor, Lena sai e compra na frente dele – disparando o primeiro tiro na sua guerra. Mas Lena tem outros motivos para adquirir a maior empresa de mídia da cidade.

Como Kara (Melissa Benoist) passou os últimos meses afastando sua humanidade, Lena sofreu sentindo-se culpada por seu papel na criação do dispositivo que custou efetivamente a Kara seu relacionamento com Mon-El (Chris Wood).

“Parte de sua maneira de lidar com sua culpa e tentar trazer Kara de volta para si mesma é comprando a CatCo. Ela não só faz isso porque está comprando uma empresa de bilhões de dólares para sua amiga – é uma boa decisão para seus negócios – mas eu acho, pessoalmente, por sua personagem, subjacente lidar com os restos da culpa pelo o que ela fez na final da 2º temporada”, confessa Mcgrath

Mesmo assim, Kara não responsabiliza necessariamente Lena pelo que aconteceu com Mon-El.

“Kara está sempre dando a Lena o benefício da dúvida e realmente admira seu gênio. Eu acho que ela é compassiva o suficiente para saber que não é culpa de Lena e ela não teve outra escolha além de tomar essa decisão, e é isso que a torna uma alienígena acima de ser humana, porque ela tinha que fazer o que era certo para o bem de humanidade.”, diz Benoist.

Embora Kara tenha lutado para deixar de ser humana – e, portanto, sentir as emoções humanas associadas à perda de amor – no final da estreia, ela começou a se abrir novamente de volta para seus amigos. Assim, Kara ficará bastante feliz por Lena ser sua nova chefe.

“Eu acho ótimo. Quando vemos a Kara, ela não é muito apaixonada por ser repórter e acho que a Lena tem um papel importante em incutir essa excitação sobre a história e investigar as coisas e escrever novamente”, diz Benoist.

Na verdade, Benoist provoca que, apesar de Kara ter inicialmente desistido de seu trabalho no primeiro episódio, ela está muito mais investida em sua carreira nesta temporada.

“Ela está redescobrindo sua vocação como repórter por necessidade, porque essas coisas começam a acontecer e ela deve investigar, então acho que ela realmente está descobrindo suas habilidades nesse sentido e percebendo o quanto ela está bem. No ano passado, ela tinha todo o gosto por isso e este ano ela é muito mais prática e se aproxima de uma maneira de relatar Supergirl, onde é ajudar pessoas, salvá-las pessoas e ter de ser inteligente sobre isso. É realmente bom ver Kara realmente entrar em sua própria feminilidade nesta temporada. Ela é muito mais madura, muito mais auto-suficiente e muito independente. O que eu mais gosto e aprendi na temporada passada.”, completa Benoist.

A mudança no local também traz McGrath para o enredo principal, o que significa que a atriz consegue trabalhar mais agora com o elenco do que na temporada passada.

“É engraçado porque quando estávamos na Comic-Con e a primeira pergunta que me fizeram foi sobre o que eu gostaria para a próxima temporada e eu sempre disse que gostaria de encontrar um caminho – isso foi realmente antes mesmo de ler os scripts – para ela interagir com o resto do elenco porque minha história foi muito dependente de Kara, o que foi ótimo mas você não pode manter isso por mais de uma temporada. É bom agora estar em situações e lidar com novos personagens. O que eles conseguiram fazer nesta temporada, que é surpreendente, é torná-los mais em conjunto. Os argumentos de todos estão interconectados”, diz Katie Mcgrath

Fonte

07.10.17
Supergirl: Em entrevista, Katie Mcgrath fala um pouco sobre a nova temporada.

O cast de Supergirl concedeu uma pequena entrevista para a EW, onde cada um falou sobre o lado sombrio de Kara (Melissa Benoist) e suas relações com ela. Katie também não ficou de fora e falou um pouco sobre Lena. 

Após os acontecimentos do final da segunda temporada, Kara assumirá um lado mais sombrio nessa terceira temporada, afastando sua humanidade em uma tentativa de lidar com a perda esmagadora que sofreu, desencadeando o dispositivo de dispersão de chumbo. Com Mon-El indo embora, Kara se enterrou no trabalho para consternar aqueles que a rodeiam.

É especialmente difícil para Lena, que se culpa por ajudar a ajustar o dispositivo que foi criado por seu irmão Lex.

“O que você verá com Lena é a culpa de sentir que ela foi, de alguma forma, responsável por arruinar esse grande amor de Kara. Então, enquanto ela está se sentindo bem de que ela salvou o mundo ou ajudou a salvá-lo, ela se sente muito responsável de que sua melhor amiga está sofrendo e ela está tentando, de certa forma, trazer Kara de volta para a amizade que eles tiveram, porque ela está um pouco perdida.” diz Katie McGrath.

02.10.17
Supergirl: Em entrevista, o produtor Andrew Kreisberg fala um pouco sobre Lena e Kara

Andrew Kreisberg concedeu uma entrevista a EW para responder algumas questões da 3º temporada de Supergirl, onde foi questionado sobre Lena Luthor. Confira:

Como Lena vai cruzar mais para o núcleo de Supergirl nesta temporada, que presumimos que ela está na direção de descobrir a verdade?

Bem, novamente, eu não quero expor muito disso, porque parte disso é a surpresa, mas a amizade de Lena e Kara continuará a crescer. Há muitas aventuras de Lena-Kara no início desta temporada. A coisa mais interessante sobre Lena é que ela é tão boa, tão ética e acredita em segundas chances, mas ela vem dessa família de pessoas verdadeiramente malvadas. Como as pessoas vão perceber ao longo desta temporada, não é preciso muito para te fazer mal. Isso é o que é interessante sobre Lena e as cenas em que ela está, ou qualquer uma das aventuras que ela e Kara continuam: as pessoas simplesmente não se tornam más; elas fazem uma pequena coisa ruim e então isso leva a outra e depois a outra e então, quando você estiver vendo Lena, você sempre está se perguntando, esse é o momento em que ela faz tal pequena coisa?

 

29.09.17
Supergirl: Sinopse oficial do episódio 3×02

A CW liberou a sinopse do segundo episódio da 3º temporada, “Triggers”, que será exibido dia 16/10. Confira:

Psi, uma ladra com poderes psíquicos, ataca National City. Capaz de imobilizar as pessoas tocando em seus piores medos, Psi prova ser uma oponente formidável para Supergirl. Enquanto isso, James e Lena estão em um impasse, e Samantha começa seu novo emprego na L-Corp.

 

Layout criado e desenvolvido por Lannie.D // Katie McGrath Brasil